Hoje (17/11), o Sindicato APEOC reuniu-se com o Chefe de Gabinete do Governador, com os Secretários da Educação e de Relações Institucionais para finalizar a Minuta do Projeto de Lei sobre a Descompressão da Carreira

Após uma série de reuniões técnicas entre a Comissão APEOC-SEDUC-SEPLAG-PGE de Negociação, objetivando o atendimento do item de destaque na nossa Campanha Salarial 2015 – Descompressão da Carreira –, nosso Sindicato conquistou, em lei, a materialização dos princípios construídos em negociação com o Governo do Estado (princípios debatidos e aprovados pela categoria, em todas as regiões do estado, nas “16 Plenárias Regionais APEOC – Campanha Salarial 2016″, realizadas durante os meses de outubro e novembro).

Vejamos os resultados abaixo:

Princípios   Resultados
Manutenção do interstício de 5% no vencimento base  Mantido o interstício de 5% entre as referências e acrescidos dois novos níveis, melhorando a perspectiva de valorização salarial na carreira
Equalização da regência, focando na valorização da regência de classe dos especialistas Regência do especialista será elevada de 10% para 15% dando continuidade na equalização desta, focando nos professores com especialização
Revitalização da PVR (Parcela Variável de Redistribuição) com fortalecimento do vencimento Elevação dos vencimentos-base com absorção parcial da PVR garantindo correção anual e incorporação nos proventos sem período mínimo de contribuição, assim como a sua manutenção para possibilitar reajustes diferenciados de acordo com os 80% do FUNDEB
Manutenção do interstício anual da Progressão Horizontal Ficou garantida aos profissionais do magistério a possibilidade de progredir na carreira anualmente
Manutenção das regras atuais para concessão da progressão horizontal Os critérios, métodos e percentuais serão mantidos adequando-se o decreto à forma de evolução na carreira e não somente na classe
Não redução da regência de classe Ficou garantida a elevação da regência dos especialistas para 15% e mantidas as regências de graduados (10%), mestres (20%) e doutores (40%)
Valorização dos “embarreirados”, prioritariamente os da referência 12 Garantida uma progressão diferenciada para 100% dos profissionais do magistério que tenham completado, até setembro de 2015, pelo menos 5 anos na referência 12, beneficiando cerca de 5.000 profissionais do magistério, além de assegurar a estes a evolução em toda a carreira nos anos subsequentes
Universalização da VPNI (Verba Pessoal Nominalmente Identificável) Ampliação do número de profissionais do magistério com a PNI a fim de garantir a não defasagem salarial, assegurando à referida parcela revisão anual e o seu crescimento a partir da evolução na carreira
Não redução remuneratória Não haverá redução remuneratória para nenhum profissional do magistério seja ativo, inativo e temporário. Os temporários terão assegurados os reajustes ou aumentos salariais da mesma forma que os efetivos, além da garantia de continuidade da PVR
Possibilidade de Progressão Horizontal em toda a carreira, independente de titulação FIM DO EMBARREIRAMENTO!
Garantido a todos os profissionais do magistério a possibilidade de progredir em toda a carreira, independente de titulação, e aumentando o ganho salarial na carreira, desde o início ao topo

  • APEOC
  • Twitter
  • Google+
  • Gmail
Além de tudo já citado, a reunião, que tratou dos princípios acima elencados, e de seus respectivos resultados práticos, também resultará em evolução “na” carreira, hoje inexistente.

Após a aprovação da lei, o profissional do magistério evoluirá na carreira, de seu início ao topo, mesmo sem mudança de titulação, com maior e melhor remuneração ao longo desta.

O Sindicato APEOC conquistou o compromisso do Governo do Estado de envio imediato do Projeto de Lei e solicitação de sua tramitação em regime de urgência junto à Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, para que a vigência seja a partir de dezembro deste ano, fechando nossa Campanha Salarial 2015.

Sindicato APEOC: Nenhum passo atrás! Quebrando barreiras! Fazendo história!